June 27, 2017

Please reload

Posts Recentes

    O Maine Coon é tido como o gato de pêlos longos nativo dos Estados Unidos da America, estabalecido há mais de um século no país e reconhecido por...

O Maine Coon

June 27, 2017

1/3
Please reload

Posts Em Destaque

    O Maine Coon é tido como o gato de pêlos longos nativo dos Estados Unidos da America, estabalecido há mais de um século no país e reconhecido por sua beleza e rusticidade, tão bem equipados que são capazes de resistir à dureza dos frios invernos da região da Nova Inglaterra.

   

     Há várias lendas absurdas em relação à sua origem. A pior delas é a que afirma que os Maine Coons são fruto do cruzamento de gatos domésticos das fazendas com guaxinins (raccoons)... É certo que uma das cores de pêlo mais comum, o brown tabby, se parece com o padrão visto nos pequenos animais selvagens, assim como a aparência do rabo, anelado de preto e fofo. Mas são coincidências, o acasalamento desses animais é improvável e o nascimento de filhotes é biologicamente impossível. Aliás, no começo, Maine Coons que não tinham o padrão tigrado eram chamados "Maine Shags".

 

    Outro mito refere-se a 6 gatos enviados por Maria Antonieta para Wiscasset, no Estado do Maine, pois a rainha estaria planejando fugir para este país em busca de asilo antes da Revolução e de sua consequente morte na guilhotina. Os gatos Angorás teriam sido trazidos juntamente com outros objetos pessoais da rainha, mas a mesma não teve a mesma sorte...

 

    Fato é que os criadores de hoje ao pesquisarem sobre o assunto tendem a acreditar que a raça derivou de acasalamentos livres entre gatos de pêlos curtos e gatos de pêlos longos trazidos de navio - Angorás pelos ingleses ou outros pêlos longos pelos Vikings, alegadamente gatos como os que deram origem à atual raça dos Norwegian Forest Cat.

 

    A primeira aparição em documentos data de 1861 com menção a um gato preto e branco de nome 'Captain Jenks of the Horse Marines'. No livro de Frances Simpson "The Boof of the Cat" publicado em 1903, um capítulo inteiro foi escrito por F.R. Pierce, dono de vários gatos dessa raça, sobre ela. Fala, por exemplo, de um gato chamado Leo que foi sagrado "Best Cat" no Show de 1895 em New York e prosseguiu vitorioso em Boston nos anos de 1897, 1898, e 1899. Também lemos que no estado do Maine, nos idos de 1860, os fazendeiros competiam com seus bichanos na Feira Local de Skowhegan. Quando a CFA - Cat Fanciers Association - formou-se, em 1908, o quinto gato a ser
registrado foi um Maine Coon de nome Molly Bond.

 

    Já no início das Exposições em Boston e New York a raça participava costumeiramente com alguns representantes. Uma fêmea brown tabby chamada 'Cosie', de propriedade da Sra. Fred Brown ganhou o Best Cat no Madison Square Garden Show em 1895, no primeiro evento deste tipo na América, onde participara com uma dúzia de outros Maines além de outras raças.  

 

    Mas justamente a chegada desse mundo das Exposições e da criação de raças quase pôs fim ao Maine, quando Persas chegaram e se tornaram muito populares nos EUA. Para se ter uma idéia, por um vasto período, o último Maine Coon a ganhar título nacional em um Show foi em 1911 em Portland! O declínio foi tão forte que a raça chegou a ser considerada extinta na década de 1950. Uma associação, o "Central Maine Cat Club (CMCC)" foi criado nessa época por Alta Smith e Ruby Dyer numa tentativa de salvar o Maine Coon. Por 11 anos eles lutaram realizando exposições, fotografando, e por fim estabelecendo o padrão para este gato. A partir da década de 80 finalmente os números crescem e hoje, de acordo com o número de filhotes registrados por ano na CFA, são a terceira raça mais popular no Mundo!

 

    O Maine Coon atual herdou aquela resistência forjada ao longo de uma árdua seleção natural dos exemplares soltos na vida rural do inclemente Nordeste dos EUA e até à bordo dos navios em alto-mar: são enormes, com estrutura óssea robusta, excelentes caçadores. Os machos chegam a pesar entre 5.9 a 8.2 kg, enquanto as fêmeas 3.6 a 5.4 kg, com altura variando de 25 a 41 cm e tão longos quanto  1 metro e 20 incluindo a cauda muito felpuda.  

 

    Sua pelagem mostra características típicas de sua evolução à neve: a juba no pescoço e peito aquecendo o coração e vias aéreas, as patas com tufos de pêlos entre os dedos prevenindo congelamento e derrapagem, o abdomen e os quartos traseiros com pelagem mais longa e farta para quando tiver de sentar ou deitar-se no ambiente gelado, até mesmo as orelhas possuem tufos no seu interior para aquecerem-se.Essa pelagem é composta por uma camada de pêlos-guarda longos e uma forração acetinada, somente, que é mais rica durante o inverno. Todas cores são aceitas menos as de origem Oriental como as resultantes de albinismo térmico (ponteadas, minks e sepias), o
chocolate e o lilás.

 

    Espere um crescimento e amadurecimento lentos - seu tamanho total só se revelará entre 3 a 5 anos de vida!  

 

    Embora os Maine sejam gatos que adoram pessoas, eles não são super dependentes: não irão incomodá-lo constantemente por atenção, ao invés disso irão preferir acompanhá-lo no que estiver fazendo e tentar meter-se na tarefa também. A maioria não é chegada a colo, mas ficarão por perto e seguirão você pela casa. São gatos companheiros, parceiros, mas não gostam do papel de bebês. Apesar do tamanho são fuzarqueiros, amam fazer palhaçadas, são inteligentes e dóceis, permanecendo com suas artes infantis por toda a vida. Junte essa informação ao seu tamanho e terá a explicação para o apelido "Gigante Gentil".

 

    Raramente miam, porém são bastante falantes. Muitos emitem um trinado de passarinho numa voz miúda - nada do que se esperaria pelo seu tamanho! Não são tão chegados às alturas, preferindo perseguir objetos no chão. Alguns irão até mesmo brincar de "buscar" com os tutores. Muitos gatos dessa raça terão atração pela água! Tal traço é pensado como uma resposta ancestral adquirida por aqueles gatos selecionados pela vida de marinheiros. São excelentes pets para grandes famílias,
especialmente aquelas com cachorros e outros animais, cuja companhia eles apreciam, desde que apresentados aos poucos sob supervisão. Tendem a se dar bem com crianças, desde que tratados com respeito, divertindo-se até mesmo em brincadeiras de "vestir o bebê" ou passear de carrinho.

 

    Apesar do longo comprimento, a pelagem sedosa é de fácil manutenção, necessitando somente uma ou duas penteadas semanal(is) para mantê-la linda, retirando os pêlos mortos e evitando nós, além de distribuir bem o óleo corporal pelos fios e mantê-los hidratados. As ferramentas de beleza incluem um pente de metal e uma rasqueadeira, a ser usada na varriga e cauda, com gentileza. É bom aproveitar essa rotina para checar se não há restos de cocô presos ao pêlo nos quadris ou cauda, para retirar pode-se usar toalhas úmidas de limpeza como as para bebês e o pente. O Maine deve ser banhado somente se necessário - quando a pelagem estiver engraxada ou encordada. Os dentes devem ser escovados preferivelmente uma vez ao dia, embora possa ser reduzido a uma vez por semana, para prevenir doença periodontal (gengivite). Uma ve por semana também é interessante checar e limpar as orelhas, que pode ser feito com uma solução caseira de 50% vinagre de maçã com 50% água morna. A cada duas semanas recomenda-se cortar as unhas. Mantenha sempre a caixa de areia sanitária impecavelmente limpa evitando sujar o animal quando o mesmo for fazer seu uso ou, ainda, "acidentes" higiênicos pela sua casa.

 

    Sobre sua dieta, é importante ressaltar que a raça requer muita proteína e grande carga de nutrientes devido ao seu crescimento, tamanho e alto nível de energia. Uma ração de alta qualidade é fundamental, que liste em seus ingredientes, em primeiro lugar, a carne. Complementação de proteína animal é bem-vinda, podendo ser oferecida cozida sem temperos ou crua após 24 horas de congelamento para completar a desinfecção do alimento.

 

    Ainda que o Maine tenha grande resistência, a melhor idéia é mantê-lo somente dentro do lar, sem acesso à rua, protegendo-o assim de doenças contagiosas e parasitas, do ataque de outros animais, da maldade de pessoas, bem como de acidentes. Além do que, um animal com sua beleza se destaca e pode vir a ser roubado por alguém que não deseja pagar para ter um...


___________________________________________________________
FICHA RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DA RAÇA PARA TUTORES
___________________________________________________________                         

Conforme os sites:  http://www.vetstreet.com/cats/maine-coon#upper-tabs

 

Adaptabilidade
5/5

Nível de Energia
3/5

Nível de Afeição     
5/5

Dificuldade de manutenção (Grooming)     
3/5

Quantidade de Queda de Pêlos
3/5

Saúde em Geral
3/5

Potencial para Brincadeiras
4/5

Tendência a Vocalizar
4/5

Necessidade de Sociabilizar
3/5

Relacionamento com a Família
3/5

Amigável às Crianças
5/5

Amistoso com Estranhos / Visitas
5/5

Relacionamento com outros Pets
5/5

Inteligência     
5/5

Vitalidade:
9 a 13 anos


____________________

A Saúde do Gigante
____________________


   Dados obtidos de seguradoras de Pets durante um estudo entre os anos 2003-2006 na Suécia coloca a média de vida do Maine Coon em mais de 12,5 anos. Cerca de 74% dos gatos viveram até 12 anos ou mais e 54% viveram de 16,5 anos para mais. São uma raça no geral bastante saudável e resistente à doenças devido a sua origem. O risco maior é de Cardiomiopatia Hipertrófica Felina (HCM), que é também a doença cardíaca mais comum em todos gatos, sejam de raça ou sem. É hereditária nos Maine Coon, através de genes autossômicos dominantes - uma mutação específica foi detectada (chamada MyBPC) para os Maine pela Faculdade de Veterinária da Washington State
University, em aproximadamente 1/3 dos gatos doentes testados. O problema afeta as paredes da câmara esquerda do coração, que vai engrossando, podendo causar morte súbita. Tende a afetar mais os machos e gatos adultos e idosos. Pode ser logo detectada por ultrassom - esta doença deve ser regularmente testada, podendo aparecer só depois dos 7 anos edm gatos aparentemente "saudáveis". O índice de gatos afetados por esta raça é de cerca de 10.1%.

 

   Outro problema de saúde potencial é a Atrofia Muscular da Espinha (SMA), outra doença hereditária, que causa a perda dos neurônios na medula espinhal que ativam a musculatura do tronco e membros. Sintomas começam a aparecer entre 3 a 4 meses de vida e resultam em perda muscular, fraqueza e perda de longevidade. Gatinhos afetados andam arrastando as patas traseiras e tem dificuldade em pular, mas não sentem qualquer dor local em decorrência do mal. Já existe teste para detectar os genes responsáveis e assim prevenir cruzamentos que resultem em filhotes afetados.

 

   Displasia de quadril (ou Coxo-Femural) é uma anormalidade das articulações do quadril que pode causar artrite, dor de suave a grave, e deficiência de movimento tendendo ao aleijamento conforme o grau da doença.  Os mais afetados costumam ser os machos maiores e mais pesados, já que os sintomas se manifestam de forma muito menos intensa em indivíduos mais leves. Animais afetados se movem vagarosamente e evitarão pular. Dependendo da severidade ocorre perda de peso e medicamentos ou até cirurgia podem ser indicados para manter a qualidade de vida do animal. Raios-X submetidos a Fundação Ortopédica para Animais (OFA) entre 1974 e 2011 indicam que 24.3% dos Maine Coons naquela base de dados era/é displásico.

 

  A PKD causa falha nos rins e afeta gatos adultos. Os cistos se desenvolvem e crescem no rim ao longo do tempo, substituindo o tecido saudável, funcional, e o dilatando. Mais tarde, com a maturidade, o rim finalmente dará sinais de falha, ppr volta dos 7 anos de vida em média (entre 3 a 10 anos). Sintomas visíveis incluem: tomar água excessivamente, urinar muito, ter pouco apetite, perda de peso e depressão. A genética dessa doença é autossômica dominante e o teste de DNA é o método
preferido para retirar a doença do plantel nos Persas (e raças relacionadas). Infelizmente estudos demonstraram que maine Coons doentes não sofrem do mesmo mecanismo hereditário e ainda não se tem identificação dos genes responsáveis nesta raça. Portanto, fica-se limitado ao diagnóstico por ultrassom dos futuros pais, que não é o melhor método, mas o único possível por hora para prevenção da reprodução dessa característica maligna.


________________________

A VARIANTE POLIDÁCTILA
________________________


Muitos dos gatos originários da área da Nova Inglaterra possuem uma característica hereditária conhecida como "Polidactilia" - que significa que nasceram com dedos extras nas patas. É uma característica genética autossômica dominante, o que significa que basta um do casal possuir o traço para o mesmo passar para sua prole, e também que se o gato herdou o gene ele haverá de mostrar isso claramente no seu corpo, ou seja, terá dedos extras, não havendo o risco de um filhote "carregar" a característica sem aparentar... A Polidactilia é desclassificante nos ringues dos Shows, portanto, é banida nas linhagens. No entanto, após quase ter sido extinta na raça, alguns criadores conseguiram junto a certas Associações (como a TICA) que uma variante fosse aceita e assim o traço pudesse ser cultivado e mantido.


_________________________________________________

PADRÃO TICA ~ GRUPO DE RAÇAS MAINE COON (MC/MCP)
_________________________________________________
                               Revisão 24/09/2014


Neste Grupo estão o Maine Coon (MC) e sua variante, o Maine Coon Polidáctilo (MCP).

 

CABEÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 points
   Forma . . . . . . . . . . . . 8
   Olhos . . . . . . . . . . . . 5
   Orelhas. . . . . . . . . . . 10
   Nariz e Queixo . . . . . . . 10
   Perfil. . . . . . . . . . . . 7

 

CORPO. . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 points
   Torso. . . . . . . . . . . . 10
   Pernas e Patas. . . . . . . . 3
   Cauda . . . . . . . . . . . . 5
   Ossatura. . . . . . . . . . . 7
   Musculatura. . . . . . . . . 10

 

PELAGEM/COR/PADRÃO . . . . . . . . . . . 25 points
   Comprimento. . . . . . . . . 10
   Textura . . . . . . . . . . . 5
   Cor . . . . . . . . . . . . . 5
   Padrão. . . . . . . . . . . . 5

 

CATEGORIA: TradiCional.

 

DIVISÃO: Todas.

 

COR: Todas.

 

CRUZAMENTOS FORA DA RAÇA (OUTCROSS) PERMITIDOS: Nenhum.

 

Equilíbrio na totalidade e proporção são essenciais no Maine Coon e nenhuma feição deve dominar sobre as outras e puxar atenção de quem olha.

 

CABEÇA:

   Formato: Larga, em forma de cunha modificada. Tamanho proporcional ao corpo. Levemente mais comprida que larga. O focinho quebra distintamente a partir das maçãs dorosto altas e proeminentes.

   Olhos: Grandes, levemente ovais, parecem redondos quando bem abertos. Ponta externa dos olhos aponta para a base mais distante da orelha. Bem espaçados. Cor variando entre qualquer tom de verde e/ou dourado, sem relação com a cor do pêlo, olhos azuis ou díspares aceitos nos brancos e particores.

   Orelhas: Grandes, largas na base com a cartilagem da parte baixa de fora iniciando mais para trás no crânio do que a da parte superior na testa. Base externa no nível logo acima do topo dos olhos. Linhas exteriores da orelha tem uma pequena curvatura para fora que não passa a posição das 11 horas e das 13 horas. Plantadas bem alto na cabeça com as bases espaçadas entre si por não mais que a largura de uma orelha. Mais altas que largas, mas mesmo assim em equilíbrio com o tamanho da cabeça. Moderadamente pontudas e com um tufo tipo lince. Também forradas internamente, os tufos de pêlos ultrapassam a borda de fora da orelha.

   Queixo: Largo e profundo o suficiente para dar uma aparência quadrada ao focinho. Firme, alinhado ao lábio superior.

   Nariz: Quadrado.

   Perfil: Testa gentilmente curvada. Uma suave curva côncova na ponte do focinho termina num perfil suave de nariz. Em filhotes pode haver uma pequena corcova no nariz.


CORPO:

   Torso: Grande, longo, substancial, retangular, igual em largo dos ombros aos quadris. Peito largo. Costas niveladas. Fêmeas bem menores que machos.

   Ossatura: Substancial.

   Musculatura: Substancial, poderosa.

   Membros: Comprimento médio formando um retângulo com o corpo. Patas:
          MC: Grandes, redondas e com tufos de pêlos.
          MCP: Idem. Dedos adicionais são permitidos nas patas traseiras e/ou dianteiras. Preferencialmente simétricas. Máximo de 7 dedos por pata.

   Cauda: No mínimo tão longa quanto o corpo. Base larga afilando para ponta com pelagem cheia, esvoaçante.


PELAGEM/COR/PADRÃO 

    Comprimento: Desnivelado - mais curto nos ombros, gradualmente alongando pelas costas até o rabo e pelos lados até a barriga. Pelagem do abdomen longa, cheia, desgrenhada, com bombachas nas pernas. Pelagem da cauda longa, cheia, esvoaçante. Juba frontal no peito se torna mais desenvolvida conforme a idade.

    Textura: Casaco a prova de qualquer clima. Uma pelugem leve encorpa o casaco mas ao mesmo tempo permite que ele caia suavemente. Nunca algodoada.

    Cor: Particores devem ter algum branco em todas as quatro patas.


DESCRIÇÃO GERAL: O Maine Coon é a raça de pêlos longos nativa dos Estados Unidos da América. A raça, de disposição amistosa, desenvolveu-se através de um processo de seleção onde só os mais fortes sobreviveram. Deve ser sempre lembrado que o Maine Coon foi desenvolvido para ser um "gato de trabalho" hábil a sobreviver em terrenos duros, florestados e sob condições climáticas de frio extremo. É uma raça corpulenta com grandes orelhas, peito largo, ossatura substancial, um torso longo, muito musculoso, retangular, uma cauda esvoaçante, comprida e grandes patas com tufos de pêlos.


PERMISSÕES: o Standard (PADRÃO) favoresce os machos. Deve ser permitida uma significante diferença de tamanho entre os sexos. No entanto, o tipo não deve ser sacrificado em favor do tamanho. A raça é de amadurecimento lento. Permitir orelhas mais próximas em filhotes e mais espaçadas em adultos maduros. Na variante polidáctila não contam pontos extras por número de dedos a mais, não influenciando se apenas um ou vários por pata são expressados nos gatos.


PENALIDADES:
    OLHOS: Inclinados e amendoados. Quando aberto ter o topo reto.
    ORELHAS: Muito próximas, implantadas no alto e retas. Com a base estreita. Em forma de chama, bem afastadas.
    QUEIXO: Fraco, retrognato, faltando profundidade, fino.
    FOCINHO: Almofadas dos bigodes proeminentes.
    PERFIL: Reto. Nariz romano. Corcova proeminente.
    TORSO: Fino.
    CAUDA: Curta.
    PÉS: Dedos (exceto a garra do polegar) não tocando a mesa (chão).
    PELAGEM: Falta da subpelagem ou da pelagem descabelada na barriga. Casaco parecendo todo de igual comprimento.
    COR: Medalhão visível.


____________________________________________________________________

Referências:
____________________________________________________________________

http://www.tica.org/find-a-breeder/item/231-maine-coon-introduction
https://www.tica.org/pdf/publications/standards/mc.pdf
https://en.wikipedia.org/wiki/Maine_Coon
http://www.unm.edu/~njmoore/MainCoonHistory/History.htm
http://cattime.com/cat-breeds/maine-coon-cats#/slide/3
http://www.petmd.com/cat/breeds/c_ct_maine_coon
http://www.maine-coon-cat-nation.com/maine-coon-characteristics.html
http://www.hillspet.com/en/us/cat-breeds/maine-coon
http://www.vetstreet.com/cats/maine-coon#upper-tabs

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square